terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Calendários 2010




Cartão de Natal


segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Contar histórias João e o Pé de Feijão

A sequência de videos a seguir contam a história dramatizada de João Pé de Feijão. Muito interessante para ilustrar aulas de literatura tanto para alunos menores quanto maiores. Pode servir de exemplo para o estudo do gênero teatro. Acredito que seja um material muito rico para ser explorado.

Primeiro vídeo



Segundo vídeo


Terceiro vídeo



Quarto vídeo 



Quinto vídeo 

sábado, 5 de dezembro de 2009

Produção de texto:sequência de gravuras natalinas

Papai Noel é uma figura popular no Brasil. As crianças possuem uma bagagem de conhecimentos prévios sobre esse personagem. Acredito que a sequência de gravuras abaixo constitui um fator interessante para desencadear  produção de textos narrativos.


Figura 1


Figura 2



Figura 3





Figura 4





Figura 5





Figura 6





FELIZ NATAL PARA TODOS . PAZ NA TERRA AOS HOMENS DE BOA VONTADE!!!

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Enigma de Natal



Uma atividade gostosa para as crianças em fase de alfabetização.
 

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Informativos do site




domingo, 29 de novembro de 2009

História da Lingua Portuguesa


A história da língua portuguesa no Brasil

Desde que os portugueses chegaram a este lado do Atlântico, há cinco séculos, muita coisa mudou no jeito de falar


1500Os cerca de 5 milhões de indígenas que aqui viviam, distribuídos em mais de 1 500 povos, falavam em torno de mil línguas de vários grupos lingüísticos
1580Começa a ser registrada a Língua Geral Paulista, difundida por padres jesuítas e bandeirantes. “Tucuriuri” significava “gafanhotos verdes”
1700Surgem registros da Língua Geral Amazônica, de base tupinambá, e do dialeto de Minas, misto de português com o Evé-fon, trazido por escravos africanos
1759O Marquês de Pombal promulga lei impondo o uso da língua portuguesa, mas ainda coexistem NO PAÍS DIVERSOS idiomas indígenas e africanos
1808A chegada da família real é decisiva para a difusão da língua: são criadas bibliotecas, escolas e gráficas (e, com elas, jornais e revistas)
1850imigrantes europeus aportam em grande número no país, incentivando transformações no idioma com a introdução de diversos estrangeirismos
1922A Semana de Arte Moderna leva o português informal para as artes. A crescente urbanização e o surgimento do rádio ajudam a misturar variedades lingüísticas
1988A Constituição garante a preservação dos dialetos de grupos indígenas e remanescentes de quilombos. Hoje Ha 180 línguas indígenas e mil quilombolas
1990Com a TV presente em mais de 90% dos lares, não se constata isolamento lingüístico. Começa a nascer a linguagem rápida usada na internet


Fonte: Revista Nova Escola

domingo, 22 de novembro de 2009

Palavras afro-brasileiras


Achei este artigo muito interessante para usarmos em nossas aulas de português


Culturas africanas influenciaram nosso idioma

Heidi Strecker*


O português que falamos no Brasil tem muitas palavras de origem africana, você sabia? Isso acontece porque - principalmente durante o período colonial - os negros foram trazidos da África comoescravos, para trabalhar na lavoura.

Os africanos trouxeram consigo sua religião - o
candomblé - e sua cultura, que inclui as comidas, a música, o modo de ver a vida e muitos dos seus mitos e lendas. Trouxeram ainda - é claro - as línguas e dialetos que falavam.

Os povos bantos, que habitavam o litoral da África, falavam diversas línguas (como o quicongo, o quimbundo e o umbundo). Muitos vocábulos que nós usamos freqüentemente vieram desses idiomas. Quer exemplos? "Bagunça", "curinga", "moleque", "dengo", "gangorra", "cachimbo", "fubá", "macaco", "quitanda"...

Outras palavras do português falado no Brasil também têm 
raízes africanas. Muitas delas vêm de diferentes povos do continente, como os jejes e os nagôs (que falavam línguas como o fon e o ioruba). Palavras como "acarajé", "gogó", "jabá" e muitas outras passaram a fazer parte do nosso vocabulário, foram incorporados à nossa cultura. Em geral, trata-se de nomes ligados à religião, à família, a brincadeiras, à música e à vida cotidiana.

Quer um exemplo bem trivial? "Bunda". Essa palavra também é africana, pode ter certeza. Se não fosse por ela, teríamos que dizer "nádegas", que é efetivamente o termo português para essa parte do corpo humano. Da mesma maneira, em vez de "cochilar", teríamos que dizer "dormitar". Em vez de "caçula", usaríamos uma palavra bem mais complicada: "benjamim". Empolado, não é?

Dizem que a língua banta tem uma estrutura parecida com o português, devido ao uso de muitas vogais e sílabas nasais ou abertas. Deve ser verdade, observe os sons da palavra "moleque" e de "gangorra". Parece também que o jeito malemolente (isto é, devagar e cheio de ginga) de falar facilitou a integração entre o banto e o português.

A verdade é que hoje a gente usa tantas palavras africanas que nem repara em sua origem. Quer ver? O que seria do Brasil sem o "samba"? E tem mais: "cachaça", "dendê", "fuxico", "berimbau", "quitute", cuíca", "cangaço", "quiabo", "senzala", "corcunda", "batucada", "zabumba", "bafafá" e "axé". Para quem não sabe, "bafafá" significa confusão. E "axé" é uma saudação com votos de paz e felicidade.

*Heidi Strecker é filósofa e educadora.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Contribuição africana para o léxico do português no Brasil







RECEBI E REPASSO A ATIVIDADE, POIS ACHEI INTERESSANTE

Cuidar da água




É preciso cuidar da água





ÁGUA DOCE, DOCE ÁGUA
EVELYN HEINE
DE MAR É FEITA A TERRA,
DE ÁGUA É FEITA A GENTE.
ABAIXO O DESPERDÍCIO!
POUPAR ÁGUA: COISA URGENTE!

CLARA, DOCE OU GELADA,
VERDE, AZUL OU TRANSPARENTE,
SEM A ÁGUA NÃO HÁ NADA.
NEM FLORESTA, NEM SEMENTE.

ÁGUA DOCE MATA A SEDE,
ÁGUA DOCE É A QUE LAVA.
CACHOEIRA, RIO OU FONTE...
SÓ NÃO PODE SER SALGADA.

TANTO BATE ATÉ QUE FURA,
DIZ DITADO POPULAR...
CUIDA DELA! VOCÊ JURA?
VAMOS ECONOMIZAR!

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Mandalas de Natal



                                     
     Mandalas de Natal para colorir!!!



De Educação Infantil Betim


De Educação Infantil Betim



 Quando noto que meus alunos andam meio estressados, gosto de trabalhar alguma atividade que os mantenha mais relaxados.
O desenho de mandalas é uma dessas atividades. Distribuo folhas brancas e peço aos alunos que desenhem círculos. Depois temos uma conversa sobre o que é manda e o que ela representa. A partir dessa conversa faço sugestões que os alunos criem as suas e deem título para seus trabalhos. A seguir, faço a sugestão que troquem os trabalhos e que os colegas escrevam como interpretam o desenho do outro colega. 
Além de estimular a produção de texto, desperta, nos alunos, sensibilidades.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Dedoches para desenhar,colorir e para produção de textos

Ainda continuo curtindo os dedoches. Pensei na História de Chapeuzinho Vermelho. Sou ruinzinha em desenho, minha Chapeuzinho saiu gorduchinha. Aí pensei em reescrever a história com o título Chapeuzinho Vermelho Gulosinha. Seria interessante fazer essa tentativa com os alunos. Aro credito que vou tentar escrever um texto de teatro utilizando esse argumento. 
Dedoches andam mexendo com minha imaginação.




Vejam minha Chapeuzinho Gorduchinha



Olhem a cara gulosa do Lobo Mau, que também é pançudo!!!




Dedoches para produção de textos

Ontem, fiquei namorando a ideia de fazer dedoches para desencadear produções de textos. Nunca tinha feito um, aí resolvi experimentar. Fiz dois corações que minha amiga baiana batizou de Deco e Lay.
Acredito que  seha possa utilizar esses dois dedoches para produzir textos do gênero peças teatrais ou narrativas envolvendo diálogos, etc.


sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Prova Brasil - descritores da avaliação de português

A Prova Brasil avalia a proficiência em leitura .O quadro abaixo mostra os descritores cobrados.




Fonte: Nova Escola
Conhecer os descritores ajuda o professor a preparar as atividades de leitura para seus alunos.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Jogo da memória

Da Revista Nova Escola vem a ideia de se fazer um jogo da memória com as fotos das crianças da sala. Com uma máquina digital, tire fotos de suas criançans e imprima-as do tamanho que achar conveniente para sua turma. Cole-as em papel cartonado, platifique de alguma maneira e faça um jogo memória bem interessante.
Fiquei pensando aqui, para as turmas de alunos mais velhos, pode-se fazer um jogo da memória usando a foto e o nome da criança. Ou ainda, a primeira letra do nome.
As peças do jogo da memória poderiam também servir para outras atividades em sala de aula. Por exemplo, o jogo feito com nomes e fotos serveria para organizar uma lista dos nomes dos alunos das sala em ordem alfabética e poder-se-ia, na mesma lista, associar nome à foto.
Obs: Não se esqueça de conversar com seus alunos sobre a razão de estar tirando as fotos e pedir permissão para os pais.
No final do ano cada aluno poderá levar para casa suas fotos usadas no jogo. Uma forma de recordar os bons momentos na escola.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Cartão de Natal - Colorir e escrever mensagem

Que tal fazer um belo colorido, escrever uma mensagem carinhosa e sair distribuindo por aí esse singelo cartão de natal?  Além de colorir, você poderá enfeitá-lo com contas coloridas, fitas vermelhas ou douradas e glitters.    Deixe a imaginação voar e dê seu toque pessoal. A partir desse, você poderá criar muitos outros. Se for de seu interesse, envie seu modelos que teremos o prazer de publicá-los aqui. Há um endereço de e-mail na lateral direita do blog.

FELIZ NATAL PARA TODOS!!!



De Educação Infantil Betim

sábado, 31 de outubro de 2009

Halloween


A turma jovem curte muito o Halloween. Para saber mais um pouco dessa comemoração clique aqui
Figuras para colorir aqui
Mais sugestões para comemorações aqui.








terça-feira, 27 de outubro de 2009

Produção de texto: gênero histórias de aventuras.

Texto de aventuras sempre atraem crianças e adolescentes. Nossa proposta de produção de texto é a seguinte: imagine que o jornal de sua escola esteja fazendo um concurso para escolher texto de histórias de aventuras para publicar no espaço reservado à literatura. 

Para concorrer, você deve produzir um texto a partir de um início dado. O texto deve conter aproximadamente 30 linhas.
Não se esqueça de dar um título interessante para seu texto.


Era um domingo de sol. Paulo e seus amigos sairam caminhando pelas ruas das cidade. De repente...


Correção: Uma forma interessante de corrigir os textos seria levar os colegas lerem os textos uns dos outros e fazerem sugestões de correção. No início essa tarefa pode parecer muito difícil, depois descobrimos que os alunos são leitores bastante críticos.
Pode-se apontar alguns elementos a serem observados como;

  • Pontuação adequada,
  • Escrita correta das palavras,
  • Uso adequado da concordânica nominal e verbal (observar o registro do texto)
  • Uso de letras maiúsculas e minúsculas,
  • Uso de letra legível,
  • Organização do texto no papel,
  • Uso de parágrafo,
  • O texto contém todas as informações necessárias ao leitor.
  • Existência de algum trecho que está confuso ou incompreensivo,
  • Repetição de palavras,
  • Palavras empregadas com sentido inadequado,
  • Repetição de informações que impede o texto de avançar.
  • Escreveu o título,
  • O título está de acordo com o texto e desperta a atenção do leitor.
As sugestões de correção devem vir em uma folha a parte, por outro lado, seria interessante estimular o aluno revisor que apontasse também as qualidades do texto, aquilo que ele achou interessante, o que prendeu sua atenção, etc.
Dessa forma também preparamos nossos alunos para serem alunos críticos de seus textos e de outros textos e  a produção textual também seria muito beneficiada.

Ainda pode ser apresentada uma ficha com os principais itens para a construção do gênero histórias de aventura :
  • Contextualização- espaço e tempo em que passa a história,
  • Presença de personagens e suas características,
  • As relações estabelecidas entre os personagens,
  • A progressão temporal do texto e seus marcadores,
  • Apresentação do conflito,
  • A resolução do conflito,
  • O final da história,
  • Observar como se dá a retomada dos elementos dentro da história ( coesão).
Isso tudo pode parecer muito complicado, mas  não é. O professor deve ir aos poucos habituando sua sala de aula a trabalhar nessa perspectiva. Os bons frutos serão a recompensa da persistência.

    segunda-feira, 19 de outubro de 2009

    Financiamento de computadores portáteis para professores


    Financiamento de computadores portáteis para professores. Maiores informações podem ser obtidas aqui.

    sexta-feira, 9 de outubro de 2009

    Colorir - Primavera


    Os professores das séries iniciais poderão utilizar a gravura para propor uma produção de texto narrativo: contar uma história que teve como final a situação apresentada pela gravura. Seria interessante fazer antes uma exploração oral da gravura .

    terça-feira, 6 de outubro de 2009

    Dia da Criança - Dia do Professor


    Imagem para um belo cartão

    Dia da Criança - Sugestão de aula -períodos iniciais

    Sugestão de aula para a Semana da Criança



    Construção de um álbum denominado "Meu Mundo de Criança"


    Objetivo: Levar a criança a refletir sobre seu mundo, as pessoas e as coisas que fazem parte dele. Ampliação de conhecimento de mundo. Fortalecimento de relações sociais.


    O álbum poderá ser construído de diferentes maneiras. Poderão ser utilizadas fotos, figuras ou desenhos.


    A primeira página do álbum deverá ser uma apresentação da própria criança: sua foto, um desenho que a represente ou mesmo uma figura de revista,etc.
    Poderá constar do nome da criança ( escrito por ela), sua idade, nome dos pais e outros dados que a criança ou a professora julgar importante.


    A segunda página poderá ser a da família.


    A terceira: meus amigos


    A quarta: meus brinquedo preferidos


    A quinta : meu cantinho preferido


    A professora poderá acrescentar ou modificar as páginas do álbum de acordo com as necessidades da turma ou do aluno.
    Será um belo álbum para guardar e rever quando a criança estiver crescida.

    quarta-feira, 30 de setembro de 2009

    Ser Professor


    Encontrei este texto e gostaria de parti-lo com vocês.Fala com muita clareza e 
    carinho sobre dia-a-dia do professor.
    Ser professor é professar a fé e a certeza de 
    que tudo terá valido a pena se o aluno sentir-se feliz
    pelo que aprendeu com você e pelo que ele lhe
    ensinou... 
    
    Ser professor é consumir horas e horas pensando 
    em cada detalhe daquela aula que, mesmo ocorrendo
    todos os dias, a cada dia é única e original... 
    
    Ser professor é encontrar pelo corredor com cada
    aluno,
    olhar para ele sorrindo, e se possível, chamando-o
    pelo nome para que ele se sinta especial... 
    
    Ser professor é entrar cansado numa sala de aula e, 
    diante da reação da turma, transformar o cansaço 
    numa aventura maravilhosa de ensinar e aprender... 
    
    Ser professor é envolver-se com seus alunos 
    nos mínimos detalhes, vislumbrando quem está 
    mais alegre ou mais triste, quem cortou os cabelos, 
    quem passou a usar óculos, quem está preocupado 
    ou tranquilo demais, dando-lhe a atenção necessária...
    
    
    
    Ser professor é importar-se com o outro numa 
    dimensão de quem cultiva uma planta muito rara que 
    necessita de atenção, amor e cuidado. 
    
    
    Ser professor é equilibrar-se entre três turnos de 
    trabalho e tentar manter o humor e a competência para 
    que o último turno não fique prejudicado... 
    
    
    Ser professor é ser um "administrador da curiosidade"
    de seus alunos, é ser parceiro, é ser um igual na hora
    
    de ser igual, e ser um líder na hora de ser líder, 
    é saber achar graça das menores coisas e entender 
    que ensinar e aprender são movimentos de 
    uma mesma canção: a canção da vida... 
    
    
    Ser professor é acompanhar as lutas do seu tempo 
    pelo salário mais digno, por melhores condições de
    trabalho, 
    por melhores ambientes fisicos, sem misturar e
    confundir jamais essas lutas com o respeito e com o fazer junto ao
    aluno.
    Perder a excelência e o orgulho, jamais! 
    
    
    Ser professor é saber estar disponível aos colegas 
    e ter um espírito de cooperação e de equipe na troca 
    enriquecedora de saberes e sentimentos, 
    sem perder a própria identidade. 
    
    
    Ser professor é ser um escolhido que vai fazer
    "levedar a massa" 
    para que esta cresça e se avolume em direção 
    a um mundo mais fraterno e mais justo. 
    
    
    Ser professor é ser companheiro do aluno, "comer 
    do mesmo pão", onde o que vale é saciar a fome 
    de ambos, numa dimensão de partilha.. 
    
    
    Ser professor é ter a capacidade de "sair de cena, 
    sem sair do espetáculo". 
    Ser professor é apontar caminhos, mas deixar que 
    o aluno caminhe com seus próprios pés... 
    
    
    Darwin Ianuskiewtz
    

    terça-feira, 29 de setembro de 2009

    Dia da Criança


    De Educação Infantil Betim

    Música tradicional para o Dia da Criança










    Criança feliz,
    feliz a cantar
    Alegre a embalar
    seu sonho infantil

    Oh! meu bom Jesus,
    que a todos conduz
    Olhai as crianças
    Do nosso Brasil

    Crianças com alegria
    Qual um bando de andorinhas
    Viram jesus que dizia
    Vinde a mim as criancinhas

    Hoje no céu um aceno
    Os anjos dizem amém
    Porque jesus nazareno
    Foi criancinha também.



    Clique aqui para ouvir a música.

    segunda-feira, 28 de setembro de 2009

    Como surgiu o dia do Professor


    O Dia do Professor é comemorado no dia 15 de outubro. Mas poucos sabem como e quando surgiu este costume no Brasil.
    No dia 15 de outubro de 1827 (dia consagrado à educadora Santa Tereza D’Ávila), D. Pedro I baixou um Decreto Imperial que criou o Ensino Elementar no Brasil. Pelo decreto, “todas as cidades, vilas e lugarejos tivessem suas escolas de primeiras letras”. Esse decreto falava de bastante coisa: descentralização do ensino, o salário dos professores, as matérias básicas que todos os alunos deveriam aprender e até como os professores deveriam ser contratados. A idéia, inovadora e revolucionária, teria sido ótima - caso tivesse sido cumprida.
    Mas foi somente em 1947, 120 anos após o referido decreto, que ocorreu a primeira comemoração de um dia dedicado ao Professor.
    Começou em São Paulo, em uma pequena escola no número 1520 da Rua Augusta, onde existia o Ginásio Caetano de Campos, conhecido como “Caetaninho”. O longo período letivo do segundo semestre ia de 01 de junho a 15 de dezembro, com apenas 10 dias de férias em todo este período. Quatro professores tiveram a idéia de organizar um dia de parada para se evitar a estafa – e também de congraçamento e análise de rumos para o restante do ano.

    O professor Salomão Becker sugeriu que o encontro se desse no dia de 15 de outubro, data em que, na sua cidade natal, professores e alunos traziam doces de casa para uma pequena confraternização. Com os professores Alfredo Gomes, Antônio Pereira e Claudino Busko, a idéia estava lançada, para depois crescer e implantar-se por todo o Brasil.
    A celebração, que se mostrou um sucesso, espalhou-se pela cidade e pelo país nos anos seguintes, até ser oficializada nacionalmente como feriado escolar pelo Decreto Federal 52.682, de 14 de outubro de 1963. O Decreto definia a essência e razão do feriado: "Para comemorar condignamente o Dia do Professor, os estabelecimentos de ensino farão promover solenidades, em que se enalteça a função do mestre na sociedade moderna, fazendo participar os alunos e as famílias".
    Fonte:  http://www.portaldafamilia.org.br/datas/professor/diaprof.shtml

    Como surgiu o Dia da Criança


    Como surgiu o Dia da Criança
    O Dia das Crianças no Brasil foi "inventado" por um político. O deputado federal Galdino do Valle Filho teve a idéia de criar um dia em homenagem às crianças na década de 1920.

    Na década de 1920, o deputado federal Galdino do Valle Filho teve a idéia de "criar" o dia das crianças. Os deputados aprovaram e o dia 12 de outubro foi oficializado como Dia da Criança pelo presidente Arthur Bernardes, por meio do decreto nº 4867, de 5 de novembro de 1924.

    Mas somente em 1960, quando a Fábrica de Brinquedos Estrela fez uma promoção conjunta com a Johnson & Johnson para lançar a "Semana do Bebê Robusto" e aumentar suas vendas, é que a data passou a ser comemorada. A estratégia deu certo, pois desde então o dia das Crianças é comemorado com muitos presentes!

    Logo depois, outras empresas decidiram criar a Semana da Criança, para aumentar as vendas. No ano seguinte, os fabricantes de brinquedos decidiram escolher um único dia para a promoção e fizeram ressurgir o antigo decreto. 
    A partir daí, o dia 12 de outubro se tornou uma data importante para o setor de brinquedos.

    Em outros países

    Alguns países comemoram o dia das Crianças em datas diferentes do Brasil. Na Índia, por exemplo, a data é comemorada em 15 de novembro. Em Portugal e Moçambique, a comemoração acontece no dia 1º de junho. Em 5 de maio, é a vez das crianças da China e do Japão comemorarem!

    Dia Universal da Criança

    Muitos países comemoram o dia das Crianças em 20 de novembro, já que a ONU (Organização das Nações Unidas) reconhece esse dia como o dia Universal das Crianças, pois nessa data também é comemorada a aprovação da Declaração dos Direitos das Crianças. Entre outras coisas, esta Declaração estabelece que toda criança deve ter proteção e cuidados especiais antes e depois do nascimento.

    quinta-feira, 24 de setembro de 2009

    Gênero Carta

    Em uma de minhas aulas trabalhei o gênero carta. Quis aproveitar esse momento para levar meus alunos do nono ano do Ensino Fundamental e primeiro ano do Ensino Médio a fazer uma reflexão sobre a vida e planejamento para o futuro. Com tantos adolescentes tornando pais e mães muito cedo, achei interessante apresentar a seguintes proposta de produção de texto: 

    "Os alunos deveriam escrever uma carta para seus possíveis futuros filhos e apresentar para eles  que tipo de pai ou mãe pretendem ser e como estão se preparando para isso.

    Os resultados foram bem interessantes.

    Vamos sugerir uma grade de correção para esse tipo de gênero




    O texto apresenta:
    • Vocativo
    • Data
    • Assinatura
    • Um tamanho significativo para não se confundir com um bilhete
    • Contempla a proposta de produção
    • Adequação de linguagem
    • Coesão e coerência
    • Utilizou forma de tratamento adequada. 
    • Pontuação adequada
    • Concordância e regência adequada ao nível de linguagem
    • Correção ortográfica
    • Letra legível
    • Distribuição adequada do texto na folha.
    • Esses critérios de correção podem ser apresentados aos alunos como uma maneira de levá-los a fazer uma auto-correção do seus próprios.

    segunda-feira, 21 de setembro de 2009

    Orações Coordenadas e Subordinadas

    Trabalhar período composto com alunos do Nono Ano do Ensino Fundamental nunca foi muito tranquilo. Este ano resolvi tentar algo diferente, além da classificação de orações, entendimento da ideia veiculada pela conjunção, etc. 

    Para tornar o trabalho mais interesante estamos programando um jogo que foi denominadao Passarrepassa. Até agora dividi a turma em dois grandes grupos sobre a liderança de dois alunos escolhidos por eles. Para trabalhar o conteúdo apresentei 4 blocos de exercícios. O primeiro bloco foram questões teóricas, o segundo é contituído por orações subordinadas adverbiais para serem classificadas, o terceiro bloco é das orações coordenadas e o quarto bloco constitui-se de 20 conjunções . Os alunos deverão construir períodos compostos usando essas conjunçoes e saber analisá-los sintaticamente. 

    Neste momento os alunos estão resolvendo as questões. Todos os alunos deverão ter os quatro blocos de atividades resolvidas em seus cadernos e mais um quadro de conjunções para consultar na hora do jogo.
    Preciso agora montar como serão as regras do jogo. Imaginei que cada aluno vai sortear uma questão e tentar resolvê-la, se não conseguir pode repassar para seu grupo e tentar resolver uma segunda, Todos os alunos deverão resolver pelo menos uma questão. Durante o sorteio haverá prêmios e castigos.
    A turma pareceu-me mais animadinha.
    Ao longo do tempo vou relatando o que aconteceu. A experiência é nova para mim também.

    domingo, 20 de setembro de 2009

    Consciência fonológica



    Prata, preta, prota


    Olha o capeta
    Chupando chupeta
    Fazendo careta
    Pro boi da cara preta


    Prata, preta, prota
    Prota, prata, preta


    Quem tem medo da careta
    De um capeta
    De chupeta?


    O poema é da Regina

    sábado, 19 de setembro de 2009

    Dia da Árvore-colorir


    Para comemora o Dia da Árvore, as séries iniciais podem produzir um texto narrativo. Imaginei que a atividade poderia ser completar um texto já iniciado. Pedir às crianças que escolham um título significativo para o texto produzido. 
    Pode-se montar um varal de textos ou fazer um mural ou até um coletânea para guardar na biblioteca, após cada aluno ter levado a coletânea para casa e mostrado para a família e os amigos.

    "Era o dia Dia da Árvore. Mônica e Cascão brincavam no campo perto de uma grande árvore. De repente eles escutam um voz....



    Hino da Árvore



    Festas das Árvores
    (Arnaldo Barreto)

    Cavemos a terra, plantemos nossa árvore,
    Que amiga e bondosa ela aqui nos será!
    Um dia, ao voltarmos pedindo-lhe abrigo,
    ou flores, ou frutos, ou sombras dará!

    O céu generoso nos regue esta planta;
    o Sol de dezembro lhe dê seu calor;
    a terra, que é boa, lhe firme as raízes
    e tenham as folhas frescuras e verdor!

    Plantemos nossa árvore, que a árvore amiga
    seus ramos frondosos aqui abrirá,
    Um dia, ao voltarmos, em busca de abrigo,
    ou flores, ou frutos ou sombra dará 


    Dia da Árvore-colorir-




    Encontrei essa linda imagem no blog Letramento e Alfabetização . Vale a pena conferir esse blog.

    sexta-feira, 18 de setembro de 2009

    Tarefa Cloze...

     Utilizei o exercício a seguir em minhas aulas de português. Gostei do resultado. A tarefa oportunizou várias discussões entre os alunos. Essas discussões foram desde as pistas que o texto oferecia para que se construísse um sentido até as regras ortográficas. 


    O professor pode utilizar vários tipos de textos e adaptar a tarefa de acordo com a necessidade da aula e da turma.







    Leia o texto a seguir e complete as letras que faltam nas palavras para que o texto ganhe um sentido.

    LENDAS BRASILEIRAS – SAPUCAIA-OROCA (NORDESTE) xxxxxxxxxxxxxxx

    Há muito tempo atr__s, uma tribo de índios __avia construí__do uma cidade 
    Completame__te di__erente das aldeias que costumava fa__er. Era uma cidade rica, com Ca__as e palácio__ de o__ro. As ruas ti__am sido cobertas de pedras pré__io__as, que brilhavam mais que as estrelas. 


    Costumava__ dar fe__tas que durava__ dias e dias, e andavam ricamente vê__tidos.
    Com o tempo, aço__tumaram-se com esta vida de ó__io, e nem queriam saber de traba__ar. Como eram ricos, compravam o que preci__avam das aldeias vi__inhas.
    Tupã não estava gosta__do, e mandou-lhes vários avisos, mas eles nem tomavam conhecime__to.
    x
    xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 
    Abo__ecido, Tupã fe__ cair uma tremenda __uva, que durou muitos dias. E a água come__ou a subir. Tupã queria que eles deixa__em a cidade e come__assem a trabalhar novamente mas, aga__ados às suas rique__as, os índios se recu__avam a sair de lá. 
    xx


    xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
    Onde antes havia a cidade, formou-se um grande rio. Mas Tupã não dei__ou que morre__em afogados. Os índios continuaram a viver dentro da água! Di__em que sua vida não é má, mas que __entem muita saudade de ver o céu, o __ol, o vê__de das árvores e as flores. Também voltaram a trabalhar. x
    xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
    Quem pa__a por perto da cidade submer__a di__ que ouve galos cantando dentro do rio. São espíritos protetores dos índios, que ca__tam para alertar aos __abitantes da superfície para que não inço__am no mesmo e__o.

    Devido a e__es espíritos protetores que cantam como galos é que a cidade recebeu seu nome: sapucaia-oroca significa ‘galinheiro’...
     
    BASEADO EM “HISTÓRIAS E LENDAS DO BRASIL” – ED. APEL


    sábado, 12 de setembro de 2009

    Reconto - O cravo brigou com a rosa

    Utilizei a cantiga popular para produzir um reconto com minhas turmas de aula de português. Após apresentar a letra da música ( que a maioria ficou cantarolando durante dias após a atividade) pedi aos alunos que escrevessem um texto narrativo contanto uma possível história que poderia ter dado origem à letra da cantiga. Os personagens deveriam ser seres humanos. Ainda não li todos os textos, mas os resultados estão interessantes.



    O cravo brigou com a rosa
    O cravo brigou com a rosa,
    Debaixo de uma sacada,
    O cravo saiu ferido, 
    E a rosa despedaçada



    O cravo ficou doente,
    A rosa foi visitar,
    O cravo teve um desmaio,
    E a rosa pô-se a chorar. 


    Um delicioso samba rock cujo tema é a música acima



    Clique aqui para ler alguns textos resultantes desta atividade


    Dedoches para produção de textos


    Encontrei esses dedoches no blog "tiavaleriaeascrianças". Achei muito fofinhos e fiquei pensando que não era apenas para gente miúda, os mais graudinhos poderiam ser convidados a escrever um texto teatral e depois apresentarem para a turmas menores usando os dedoches. Uma ótima oportunidade para os professores de português e literatura discutirem o gênero textual peças de teatro. 
    Sugestão: explorar o gênero antes de pedir aos alunos que produzam o texto escrito.Os alunos poderiam criar seus próprios dedoches, etc...etc...

    terça-feira, 8 de setembro de 2009

    Poesia para o dia das árvores

    Velhas Árvores 


    Olavo Bilac

    Olha estas velhas árvores, mais belas
    Do que as árvores moças, mais amigas,
    Tanto mais belas quanto mais antigas,
    Vencedoras da idade e das procelas...


    O homem, a fera e o inseto, à sombra delas
    Vivem, livres da fome e de fadigas:
    E em seus galhos abrigam-se as cantigas
    E os amores das aves tagarelas.


    Não choremos, amigo, a mocidade!
    Envelheçamos rindo. Envelheçamos
    Como as árvores fortes envelhecem,


    Na glória de alegria e da bondade,

    Agasalhando os pássaros nos ramos,
    Dando sombra e consolo aos que padecem!

    Como lavar as mãos em tempo de Influenza A

    Lavar bem as mãos em tempo de Influenza A é muito importante. Veja com fazê-lo clicando aqui

    Pátria - Olavo Bilac

    A Pátria

    Olavo Bilac

    Ama, com fé e orgulho, a terra em que nasceste!
    Criança! não verás nenhum país como este!
    Olha que céu! que mar! que rios! que floresta!
    A Natureza, aqui, perpetuamente em festa,
    É um seio de mãe a transbordar carinhos.
    Vê que vida há no chão! vê que vida há nos ninhos,
    Que se balançam no ar, entre os ramos inquietos!
    Vê que luz, que calor, que multidão de insetos!
    Vê que grande extensão de matas, onde impera
    Fecunda e luminosa, a eterna primavera!

    Boa terra! jamais negou a quem trabalha
    O pão que mata a fome, o teto que agasalha...

    Quem com o seu suor a fecunda e umedece,
    Vê pago o seu esforço, e é feliz, e enriquece!

    Criança! não verás país nenhum como este:
    Imita na grandeza a terra em que nasceste!

    quarta-feira, 2 de setembro de 2009

    Produção de texto -Reconto: Peixe Vivo

    A cantiga popular "Peixe Vivo" pode ser o motivo para se desencadear uma atividade de reconto.

    Peixe Vivo
    Como pode o peixe vivo
    Viver fora da água fria
    Como pode o peixe vivo
    Viver fora da água fria

    Como poderei viver
    Como poderei viver
    Sem a tua, sem a tua
    Sem a tua companhia
    Sem a tua, sem a tua
    Sem a tua companhia

    Os pastores desta aldeia
    Já me fazem zombaria
    Os pastores desta aldeia
    Já me fazem zombaria 
    Por me verem assim chorando
    Por me verem assim chorando

    Sem a tua, sem a tua
    Sem a tua companhia
    Sem a tua, sem a tua
    Sem a tua companhia

    Explorar com o aluno o texto poético e sua significação textual e imagética. Cantar a música com a turma ou ouvir a música em cd ou video.
    Questionar com os alunos em que situação de  vivida levaria o autor da música a escrever tal letra?
    Pedir aos alunos que escrevam um texto narrativo contando a situação que possivelmente levou o autor a produzir seu texto poético.
    O resultado poderia ser uma varal de textos narrativos.