quarta-feira, 28 de abril de 2010

Campanha salarial dos professores estaduais de Minas Gerais


Os professores da rede estadual de Minas Gerais estão em campanha salarial.

Por sua vez, e de forma intransigente, o governo estadual se nega a apresentar uma proposta salarial para os/as trabalhadores/as, demonstrando o total descaso e desrespeito para com a educação de Minas Gerais. Vale ressaltar que a Secretaria de Educação do Estado divulgou um Ofício Circular aos/às servidores/as, com ameaças de que se a greve persistir, os/as trabalhadores/as terão seus pontos cortados, o que corresponde à faltas.

Abaixo, veja a resposta do Sind-UTE/MG, em atenção ao Ofício Circular Gab.n° 1013/2010 de 26/04/2010, da Secretária de Estado da Educação, Vanessa Guimarães.

Em atenção ao Ofício Circular Gab.n° 1013/2010 de 26/04/2010, da Secretária de Estado da Educação, Vanessa Guimarães, o Sind-UTE/MG esclarece:

1)O direito de greve dos servidores públicos é legítimo, estando previsto constitucionalmente, na regra do art. 9º da Constituição Federal de 1988.

2)A Lei Federal n° 7.783 de 28/06/89, por força da decisão proferida no Mandado de Injunção n° 708 do Supremo Tribunal Federal, regulamenta o direito de greve dos servidores públicos.

3)A participação em greve suspende o contrato de trabalho, sendo vedada a rescisão de contrato de trabalho durante a greve, bem como a contratação de trabalhadores substitutos (art. 7º, parágrafo único, lei n° 7.783/89).

4)As faltas em serviço por motivo de mobilização da categoria para a defesa de seus direitos são faltas justificadas, logo, não se equivalem à faltas por ausência injustificada ao serviço.

5)A emissão do ofício por parte da Secretaria Estadual é uma clara estratégia de desmobilizar a categoria num momento em que a greve se consolidou ganhando adesão em todas as regiões do estado. Não podemos deixar que a Secretaria alcance o seu objetivo. Se os profissionais em greve recuarem, perderemos a oportunidade histórica de conquistar um salário melhor e não teremos condições de realizar qualquer negociação, uma vez que o sindicato ficará fragilizado.

6)Todas as medidas judiciais possíveis estão sendo tomadas pelo Sind-UTE/MG para tentar anular os efeitos do Ofício da Secretária.

7)Precisamos manter nossa mobilização e as atividades definidas pela assembleia realizada em São João Del-Rei .
Fonte: Assessoria de Imprensa Sind-UTE/MG, 27/04/2010
 

terça-feira, 20 de abril de 2010

Greve-salário-professores estaduais mineiros

Pode ser um exagero, mas...


















Quando postei essa charge achei-a um pouco exagerada, mas acontecimentos recentes levaram-me a repensar a situação. O professsor da rede estadual mineira tem um salário básico abaixo do salário mínimo. Não é capaz de suportar um mês de greve, pois não tem a menor chance de organizar qualquer poupança, assim após uma semana de paralisação o medo de panelas vazias e de contas para pagar já torna um pesadelo.
Hoje voltando de uma dessas greves curtíssimas, tivemos a notícia de que somos proibidos de merendar com os alunos.
Bem, colegas a situação descrita na charge acima vai se realizando mais rápido do que eu imaginava....
Vai ter bolsa família para o professor?

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Palavras de origem indígena - música

Uma música ótima para trabalhar com palavras de origem indígena.