quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Ser Professor


Encontrei este texto e gostaria de parti-lo com vocês.Fala com muita clareza e 
carinho sobre dia-a-dia do professor.
Ser professor é professar a fé e a certeza de 
que tudo terá valido a pena se o aluno sentir-se feliz
pelo que aprendeu com você e pelo que ele lhe
ensinou... 

Ser professor é consumir horas e horas pensando 
em cada detalhe daquela aula que, mesmo ocorrendo
todos os dias, a cada dia é única e original... 

Ser professor é encontrar pelo corredor com cada
aluno,
olhar para ele sorrindo, e se possível, chamando-o
pelo nome para que ele se sinta especial... 

Ser professor é entrar cansado numa sala de aula e, 
diante da reação da turma, transformar o cansaço 
numa aventura maravilhosa de ensinar e aprender... 

Ser professor é envolver-se com seus alunos 
nos mínimos detalhes, vislumbrando quem está 
mais alegre ou mais triste, quem cortou os cabelos, 
quem passou a usar óculos, quem está preocupado 
ou tranquilo demais, dando-lhe a atenção necessária...



Ser professor é importar-se com o outro numa 
dimensão de quem cultiva uma planta muito rara que 
necessita de atenção, amor e cuidado. 


Ser professor é equilibrar-se entre três turnos de 
trabalho e tentar manter o humor e a competência para 
que o último turno não fique prejudicado... 


Ser professor é ser um "administrador da curiosidade"
de seus alunos, é ser parceiro, é ser um igual na hora

de ser igual, e ser um líder na hora de ser líder, 
é saber achar graça das menores coisas e entender 
que ensinar e aprender são movimentos de 
uma mesma canção: a canção da vida... 


Ser professor é acompanhar as lutas do seu tempo 
pelo salário mais digno, por melhores condições de
trabalho, 
por melhores ambientes fisicos, sem misturar e
confundir jamais essas lutas com o respeito e com o fazer junto ao
aluno.
Perder a excelência e o orgulho, jamais! 


Ser professor é saber estar disponível aos colegas 
e ter um espírito de cooperação e de equipe na troca 
enriquecedora de saberes e sentimentos, 
sem perder a própria identidade. 


Ser professor é ser um escolhido que vai fazer
"levedar a massa" 
para que esta cresça e se avolume em direção 
a um mundo mais fraterno e mais justo. 


Ser professor é ser companheiro do aluno, "comer 
do mesmo pão", onde o que vale é saciar a fome 
de ambos, numa dimensão de partilha.. 


Ser professor é ter a capacidade de "sair de cena, 
sem sair do espetáculo". 
Ser professor é apontar caminhos, mas deixar que 
o aluno caminhe com seus próprios pés... 

Darwin Ianuskiewtz

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Dia da Criança


De Educação Infantil Betim

Música tradicional para o Dia da Criança










Criança feliz,
feliz a cantar
Alegre a embalar
seu sonho infantil

Oh! meu bom Jesus,
que a todos conduz
Olhai as crianças
Do nosso Brasil

Crianças com alegria
Qual um bando de andorinhas
Viram jesus que dizia
Vinde a mim as criancinhas

Hoje no céu um aceno
Os anjos dizem amém
Porque jesus nazareno
Foi criancinha também.



Clique aqui para ouvir a música.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Como surgiu o dia do Professor


O Dia do Professor é comemorado no dia 15 de outubro. Mas poucos sabem como e quando surgiu este costume no Brasil.
No dia 15 de outubro de 1827 (dia consagrado à educadora Santa Tereza D’Ávila), D. Pedro I baixou um Decreto Imperial que criou o Ensino Elementar no Brasil. Pelo decreto, “todas as cidades, vilas e lugarejos tivessem suas escolas de primeiras letras”. Esse decreto falava de bastante coisa: descentralização do ensino, o salário dos professores, as matérias básicas que todos os alunos deveriam aprender e até como os professores deveriam ser contratados. A idéia, inovadora e revolucionária, teria sido ótima - caso tivesse sido cumprida.
Mas foi somente em 1947, 120 anos após o referido decreto, que ocorreu a primeira comemoração de um dia dedicado ao Professor.
Começou em São Paulo, em uma pequena escola no número 1520 da Rua Augusta, onde existia o Ginásio Caetano de Campos, conhecido como “Caetaninho”. O longo período letivo do segundo semestre ia de 01 de junho a 15 de dezembro, com apenas 10 dias de férias em todo este período. Quatro professores tiveram a idéia de organizar um dia de parada para se evitar a estafa – e também de congraçamento e análise de rumos para o restante do ano.

O professor Salomão Becker sugeriu que o encontro se desse no dia de 15 de outubro, data em que, na sua cidade natal, professores e alunos traziam doces de casa para uma pequena confraternização. Com os professores Alfredo Gomes, Antônio Pereira e Claudino Busko, a idéia estava lançada, para depois crescer e implantar-se por todo o Brasil.
A celebração, que se mostrou um sucesso, espalhou-se pela cidade e pelo país nos anos seguintes, até ser oficializada nacionalmente como feriado escolar pelo Decreto Federal 52.682, de 14 de outubro de 1963. O Decreto definia a essência e razão do feriado: "Para comemorar condignamente o Dia do Professor, os estabelecimentos de ensino farão promover solenidades, em que se enalteça a função do mestre na sociedade moderna, fazendo participar os alunos e as famílias".
Fonte:  http://www.portaldafamilia.org.br/datas/professor/diaprof.shtml

Como surgiu o Dia da Criança


Como surgiu o Dia da Criança
O Dia das Crianças no Brasil foi "inventado" por um político. O deputado federal Galdino do Valle Filho teve a idéia de criar um dia em homenagem às crianças na década de 1920.

Na década de 1920, o deputado federal Galdino do Valle Filho teve a idéia de "criar" o dia das crianças. Os deputados aprovaram e o dia 12 de outubro foi oficializado como Dia da Criança pelo presidente Arthur Bernardes, por meio do decreto nº 4867, de 5 de novembro de 1924.

Mas somente em 1960, quando a Fábrica de Brinquedos Estrela fez uma promoção conjunta com a Johnson & Johnson para lançar a "Semana do Bebê Robusto" e aumentar suas vendas, é que a data passou a ser comemorada. A estratégia deu certo, pois desde então o dia das Crianças é comemorado com muitos presentes!

Logo depois, outras empresas decidiram criar a Semana da Criança, para aumentar as vendas. No ano seguinte, os fabricantes de brinquedos decidiram escolher um único dia para a promoção e fizeram ressurgir o antigo decreto. 
A partir daí, o dia 12 de outubro se tornou uma data importante para o setor de brinquedos.

Em outros países

Alguns países comemoram o dia das Crianças em datas diferentes do Brasil. Na Índia, por exemplo, a data é comemorada em 15 de novembro. Em Portugal e Moçambique, a comemoração acontece no dia 1º de junho. Em 5 de maio, é a vez das crianças da China e do Japão comemorarem!

Dia Universal da Criança

Muitos países comemoram o dia das Crianças em 20 de novembro, já que a ONU (Organização das Nações Unidas) reconhece esse dia como o dia Universal das Crianças, pois nessa data também é comemorada a aprovação da Declaração dos Direitos das Crianças. Entre outras coisas, esta Declaração estabelece que toda criança deve ter proteção e cuidados especiais antes e depois do nascimento.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Gênero Carta

Em uma de minhas aulas trabalhei o gênero carta. Quis aproveitar esse momento para levar meus alunos do nono ano do Ensino Fundamental e primeiro ano do Ensino Médio a fazer uma reflexão sobre a vida e planejamento para o futuro. Com tantos adolescentes tornando pais e mães muito cedo, achei interessante apresentar a seguintes proposta de produção de texto: 

"Os alunos deveriam escrever uma carta para seus possíveis futuros filhos e apresentar para eles  que tipo de pai ou mãe pretendem ser e como estão se preparando para isso.

Os resultados foram bem interessantes.

Vamos sugerir uma grade de correção para esse tipo de gênero




O texto apresenta:
  • Vocativo
  • Data
  • Assinatura
  • Um tamanho significativo para não se confundir com um bilhete
  • Contempla a proposta de produção
  • Adequação de linguagem
  • Coesão e coerência
  • Utilizou forma de tratamento adequada. 
  • Pontuação adequada
  • Concordância e regência adequada ao nível de linguagem
  • Correção ortográfica
  • Letra legível
  • Distribuição adequada do texto na folha.
  • Esses critérios de correção podem ser apresentados aos alunos como uma maneira de levá-los a fazer uma auto-correção do seus próprios.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Orações Coordenadas e Subordinadas

Trabalhar período composto com alunos do Nono Ano do Ensino Fundamental nunca foi muito tranquilo. Este ano resolvi tentar algo diferente, além da classificação de orações, entendimento da ideia veiculada pela conjunção, etc. 

Para tornar o trabalho mais interesante estamos programando um jogo que foi denominadao Passarrepassa. Até agora dividi a turma em dois grandes grupos sobre a liderança de dois alunos escolhidos por eles. Para trabalhar o conteúdo apresentei 4 blocos de exercícios. O primeiro bloco foram questões teóricas, o segundo é contituído por orações subordinadas adverbiais para serem classificadas, o terceiro bloco é das orações coordenadas e o quarto bloco constitui-se de 20 conjunções . Os alunos deverão construir períodos compostos usando essas conjunçoes e saber analisá-los sintaticamente. 

Neste momento os alunos estão resolvendo as questões. Todos os alunos deverão ter os quatro blocos de atividades resolvidas em seus cadernos e mais um quadro de conjunções para consultar na hora do jogo.
Preciso agora montar como serão as regras do jogo. Imaginei que cada aluno vai sortear uma questão e tentar resolvê-la, se não conseguir pode repassar para seu grupo e tentar resolver uma segunda, Todos os alunos deverão resolver pelo menos uma questão. Durante o sorteio haverá prêmios e castigos.
A turma pareceu-me mais animadinha.
Ao longo do tempo vou relatando o que aconteceu. A experiência é nova para mim também.

domingo, 20 de setembro de 2009

Consciência fonológica



Prata, preta, prota


Olha o capeta
Chupando chupeta
Fazendo careta
Pro boi da cara preta


Prata, preta, prota
Prota, prata, preta


Quem tem medo da careta
De um capeta
De chupeta?


O poema é da Regina

sábado, 19 de setembro de 2009

Dia da Árvore-colorir


Para comemora o Dia da Árvore, as séries iniciais podem produzir um texto narrativo. Imaginei que a atividade poderia ser completar um texto já iniciado. Pedir às crianças que escolham um título significativo para o texto produzido. 
Pode-se montar um varal de textos ou fazer um mural ou até um coletânea para guardar na biblioteca, após cada aluno ter levado a coletânea para casa e mostrado para a família e os amigos.

"Era o dia Dia da Árvore. Mônica e Cascão brincavam no campo perto de uma grande árvore. De repente eles escutam um voz....



Hino da Árvore



Festas das Árvores
(Arnaldo Barreto)

Cavemos a terra, plantemos nossa árvore,
Que amiga e bondosa ela aqui nos será!
Um dia, ao voltarmos pedindo-lhe abrigo,
ou flores, ou frutos, ou sombras dará!

O céu generoso nos regue esta planta;
o Sol de dezembro lhe dê seu calor;
a terra, que é boa, lhe firme as raízes
e tenham as folhas frescuras e verdor!

Plantemos nossa árvore, que a árvore amiga
seus ramos frondosos aqui abrirá,
Um dia, ao voltarmos, em busca de abrigo,
ou flores, ou frutos ou sombra dará 


Dia da Árvore-colorir-




Encontrei essa linda imagem no blog Letramento e Alfabetização . Vale a pena conferir esse blog.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Tarefa Cloze...

 Utilizei o exercício a seguir em minhas aulas de português. Gostei do resultado. A tarefa oportunizou várias discussões entre os alunos. Essas discussões foram desde as pistas que o texto oferecia para que se construísse um sentido até as regras ortográficas. 


O professor pode utilizar vários tipos de textos e adaptar a tarefa de acordo com a necessidade da aula e da turma.







Leia o texto a seguir e complete as letras que faltam nas palavras para que o texto ganhe um sentido.

LENDAS BRASILEIRAS – SAPUCAIA-OROCA (NORDESTE) xxxxxxxxxxxxxxx

Há muito tempo atr__s, uma tribo de índios __avia construí__do uma cidade 
Completame__te di__erente das aldeias que costumava fa__er. Era uma cidade rica, com Ca__as e palácio__ de o__ro. As ruas ti__am sido cobertas de pedras pré__io__as, que brilhavam mais que as estrelas. 


Costumava__ dar fe__tas que durava__ dias e dias, e andavam ricamente vê__tidos.
Com o tempo, aço__tumaram-se com esta vida de ó__io, e nem queriam saber de traba__ar. Como eram ricos, compravam o que preci__avam das aldeias vi__inhas.
Tupã não estava gosta__do, e mandou-lhes vários avisos, mas eles nem tomavam conhecime__to.
x
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 
Abo__ecido, Tupã fe__ cair uma tremenda __uva, que durou muitos dias. E a água come__ou a subir. Tupã queria que eles deixa__em a cidade e come__assem a trabalhar novamente mas, aga__ados às suas rique__as, os índios se recu__avam a sair de lá. 
xx


xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Onde antes havia a cidade, formou-se um grande rio. Mas Tupã não dei__ou que morre__em afogados. Os índios continuaram a viver dentro da água! Di__em que sua vida não é má, mas que __entem muita saudade de ver o céu, o __ol, o vê__de das árvores e as flores. Também voltaram a trabalhar. x
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Quem pa__a por perto da cidade submer__a di__ que ouve galos cantando dentro do rio. São espíritos protetores dos índios, que ca__tam para alertar aos __abitantes da superfície para que não inço__am no mesmo e__o.

Devido a e__es espíritos protetores que cantam como galos é que a cidade recebeu seu nome: sapucaia-oroca significa ‘galinheiro’...
 
BASEADO EM “HISTÓRIAS E LENDAS DO BRASIL” – ED. APEL


sábado, 12 de setembro de 2009

Reconto - O cravo brigou com a rosa

Utilizei a cantiga popular para produzir um reconto com minhas turmas de aula de português. Após apresentar a letra da música ( que a maioria ficou cantarolando durante dias após a atividade) pedi aos alunos que escrevessem um texto narrativo contanto uma possível história que poderia ter dado origem à letra da cantiga. Os personagens deveriam ser seres humanos. Ainda não li todos os textos, mas os resultados estão interessantes.



O cravo brigou com a rosa
O cravo brigou com a rosa,
Debaixo de uma sacada,
O cravo saiu ferido, 
E a rosa despedaçada



O cravo ficou doente,
A rosa foi visitar,
O cravo teve um desmaio,
E a rosa pô-se a chorar. 


Um delicioso samba rock cujo tema é a música acima



Clique aqui para ler alguns textos resultantes desta atividade


Dedoches para produção de textos


Encontrei esses dedoches no blog "tiavaleriaeascrianças". Achei muito fofinhos e fiquei pensando que não era apenas para gente miúda, os mais graudinhos poderiam ser convidados a escrever um texto teatral e depois apresentarem para a turmas menores usando os dedoches. Uma ótima oportunidade para os professores de português e literatura discutirem o gênero textual peças de teatro. 
Sugestão: explorar o gênero antes de pedir aos alunos que produzam o texto escrito.Os alunos poderiam criar seus próprios dedoches, etc...etc...

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Poesia para o dia das árvores

Velhas Árvores 


Olavo Bilac

Olha estas velhas árvores, mais belas
Do que as árvores moças, mais amigas,
Tanto mais belas quanto mais antigas,
Vencedoras da idade e das procelas...


O homem, a fera e o inseto, à sombra delas
Vivem, livres da fome e de fadigas:
E em seus galhos abrigam-se as cantigas
E os amores das aves tagarelas.


Não choremos, amigo, a mocidade!
Envelheçamos rindo. Envelheçamos
Como as árvores fortes envelhecem,


Na glória de alegria e da bondade,

Agasalhando os pássaros nos ramos,
Dando sombra e consolo aos que padecem!

Como lavar as mãos em tempo de Influenza A

Lavar bem as mãos em tempo de Influenza A é muito importante. Veja com fazê-lo clicando aqui

Pátria - Olavo Bilac

A Pátria

Olavo Bilac

Ama, com fé e orgulho, a terra em que nasceste!
Criança! não verás nenhum país como este!
Olha que céu! que mar! que rios! que floresta!
A Natureza, aqui, perpetuamente em festa,
É um seio de mãe a transbordar carinhos.
Vê que vida há no chão! vê que vida há nos ninhos,
Que se balançam no ar, entre os ramos inquietos!
Vê que luz, que calor, que multidão de insetos!
Vê que grande extensão de matas, onde impera
Fecunda e luminosa, a eterna primavera!

Boa terra! jamais negou a quem trabalha
O pão que mata a fome, o teto que agasalha...

Quem com o seu suor a fecunda e umedece,
Vê pago o seu esforço, e é feliz, e enriquece!

Criança! não verás país nenhum como este:
Imita na grandeza a terra em que nasceste!

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Produção de texto -Reconto: Peixe Vivo

A cantiga popular "Peixe Vivo" pode ser o motivo para se desencadear uma atividade de reconto.

Peixe Vivo
Como pode o peixe vivo
Viver fora da água fria
Como pode o peixe vivo
Viver fora da água fria

Como poderei viver
Como poderei viver
Sem a tua, sem a tua
Sem a tua companhia
Sem a tua, sem a tua
Sem a tua companhia

Os pastores desta aldeia
Já me fazem zombaria
Os pastores desta aldeia
Já me fazem zombaria 
Por me verem assim chorando
Por me verem assim chorando

Sem a tua, sem a tua
Sem a tua companhia
Sem a tua, sem a tua
Sem a tua companhia

Explorar com o aluno o texto poético e sua significação textual e imagética. Cantar a música com a turma ou ouvir a música em cd ou video.
Questionar com os alunos em que situação de  vivida levaria o autor da música a escrever tal letra?
Pedir aos alunos que escrevam um texto narrativo contando a situação que possivelmente levou o autor a produzir seu texto poético.
O resultado poderia ser uma varal de textos narrativos.

Produção de textos: Reconto

Estamos no mês do folclore e algumas das cantigas populares são interessantes para desencadearem produção de textos como reconto. 
Se seguir vamos apresentar um reconto feito a partir da letra da música "O Cravo Brigou com a Rosa". O reconto foi realizado por alunas do curso de Magistério Técnico durante as aulas de Informática Educativa. 
É uma atividade produtiva para ser realizada por professores de português, literatura ou artes nas salas de informática.